Homens de boa vontade

      Grandes são as preocupações dos chefes de família, que vivem no coração todas as preocupações e as dores de não poderem atender as necessidades temporais de seus filhos. Nos dias presentes, essa é uma realidade que fere o que achávamos ser capazes de prover.

      Quantas lágrimas foram secretamente derramadas, quando os próprios esforços já não podiam vencer a intransponível barreira imposta por um simples iogurte, um doce de 0,50 centavos, uma roupa nova… mas as lágrimas fecundaram o coração e as necessidades fizeram com que recorressem a Alguém maior, respondendo ao chamado de assumir a responsabilidade de conduzir e formar filhos para Deus.

      Tu porém, guardarás a minha aliança, tu e tua posteridade nas gerações futuras (Gn. 17,9).

      Dentro da nossa limitação humana, Deus quer realizar a perpetuação de Sua promessa na sua e na minha paternidade.

      Poderia nascer um filho de um homem de cem anos? (Gn. 17, 17)

      Abraão experimentou a realização do impossível na promessa de Deus, que lhe concedeu Isaac na velhice. Da mesma maneira, o Deus de Abraão quer nos instituir instrumento de perpetuação de Seus favores, trazendo para o nosso coração e dos nossos filhos o júbilo da predileção.

      Deus abençoe os pais que mesmo entre lágrimas, esperam os favores de Deus.

      Feliz dia dos pais!!!

José Eduardo
Comunidade Aliança Canção Nova

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.