Frequentar aulas de moral e religião?

A esta pergunta, que hoje se põe aos pais, encarregados de educação e alunos, pessoal docente e não docente das escolas, não se deve, nem se pode fugir. Vale ou não a pena? É ou não um bem para os alunos e para a escola? Certamente que a resposta pressupõe, por parte de quem se interroga ou se deve interrogar, saber o que se pretende da escola; o que se entende por educar; que lugar tem, de modo concreto, a formação moral e religiosa na construção da personalidade; que sentido tem a aula de EMRC nas escolas portuguesas, no contexto do sentido sistemático e do acesso normal ao nosso património cultural; que significa a vertente religiosa no diálogo intercultural; que iluminação podem ter os problemas mais sérios das pessoas e da sociedade com o contributo da mensagem evangélica …

Quando chegamos, de novo, ao período de matrículas e, consequentemente, também da matrícula na aula de Educação Moral e Religiosa Católica.

Deste fato não podem estar distraídos os pais que pensam no bem, presente e futuro, dos seus filhos menores, nem os alunos do secundário quando encaram a sua vida com seriedade e lhe pretendem dar um sentido progressivo e fundamentado, demarcando-se assim, deliberadamente, da superficialidade reinante.

A aula de EMRC não resolve tudo, mas certamente que, sem ela, o aluno, adolescente ou jovem, terá mais dificuldade em encarar problemas pessoais sérios e em encontrar, para a sua solução, uma luz e uma força moral mais adequada.

Quem se empenha verdadeiramente no bem dos alunos e na missão da escola, não poderá nunca, de modo consciente, fazer qualquer espécie de obstrução à matrícula dos alunos na aula de EMRC. Antes, se empenhará, em ajudar os pais dos alunos mais novos e os alunos mais velhos, a que aproveitem, na escola, tudo quanto nesta ajudar a sua formação e a sua capacidade de encarar e viver o futuro, com utilidade, determinação e esperança.

A Igreja Diocesana, que tem responsabilidade na aula de EMRC, fará tudo quanto está ao seu alcance para a qualificar e qualificar os seus professores, porque tem consciência da sua importância e alcance no processo educativo.

Neste final de ano escolar, desejo a todos os alunos das nossas escolas o melhor êxito nas suas provas e exames, e recomendo-lhes, a eles e a seus pais, com muita estima e amizade, que encarem a matricula na aula de EMRC, como uma opção séria e uma oportunidade válida a favor da formação integral e responsável.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.