Eu quero, Senhor, o que Tu queres

Você alguma vez já rezou assim: “Senhor, eu quero o que Tu queres?”

Você acredita que essa é uma oração difícil de ser feita? Acredite: não é; porém não a fazemos!

Muitas vezes pedimos algo segundo nossa própria vontade e nos esquecemos da vontade de Deus. Quantas vezes rezamos assim a oração do Pai Nosso: “seja feita a vossa vontade…”, desde que “sua vontade satisfaça à minha”. Somos hipócritas ou demagogos pedindo dessa maneira em nosso coração? Nem um nem outro. Somos filhos de Deus buscando a santidade em meio às nossas limitações.

Contudo, temos dado espaço para o Senhor em nossa vida? Ou será que temos sufocado a voz de Deus com nossos pedidos, com nossos anseios e lamentações, sem dar tempo para que ele diga a cada um de nós o que Ele quer?

O que o Senhor tem pedido para você em sua vida? Você alguma vez já parou para pensar em suas limitações, fraquezas e pecados? Claro que sim!!! E você já parou para pensar que, mesmo com tudo isso, Deus tem um propósito para cada um de nós? Melhor, muito mais que um propósito, Ele tem um chamado para cada um de nós.

Veja como o Senhor é clemente e misericordioso: nós que não somos nada, uns “vermezinhos” frágeis e limitados (Is. 41,14), e mesmo assim o Senhor nos confia seus tesouros (2Cor. 4, 7) a nós, pobres pecadores.

Porém, quando estamos vivendo algum processo doloroso em nossa vida, seja um momento de provação ou de tentação e começamos a clamar, a pedir a misericórdia e o auxílio do Senhor e parece que nada acontece, nos desesperamos. Esquecemos de nosso chamado, de tudo o que Ele nos deu, e assim temos a sensação que o Senhor ficou mudo para nós. Então nos desfalecemos ainda mais, e começamos a nos questionar, a murmurar, a questionar o próprio Senhor e sua divina vontade.

Isso acontece porque rezamos no Pai Nosso: “seja feita a Vossa Vontade…”, mas não vivemos e sequer aceitamos essa vontade do Pai em nossa vida.

Particularmente, tenho experenciado esses sentimentos conflituosos nos últimos dias em minha vida. Saibam que é um processo muito doloroso você lutar com suas própria forças e ver que não saiu do lugar. Nada parece dar certo! Tudo o que tentamos fazer ou realizar com nossas próprias forças, cai por terra. E quando esse sentimento invade o nosso coração, nos sentimos como verdadeiros “caranguejos”, que só andam para trás.

O que fiz então? Rendi-me, mas não à derrota, e sim à vontade do Senhor, ao Seu amor por mim, ao Seu querer em minha vida. Comecei a rezar como Santo Inácio de Loyola: “Senhor, eu quero o que Tu queres”. A luz voltou a brilhar depois dessa oração.

Irmãos, lembrem-se: Deus quer que nós dependamos única e exclusivamente Dele e de Seu amor. Deus quer que vivamos Sua vontade em todas as circunstâncias de nossa vida. Ele quer que nós confiemos em Sua vontade e desconfiemos da nossa, pois Ele não faz nada errado, Ele não é incoerente, Ele nunca nos pede além do que podemos oferecer, mas somente aquilo que podemos dar.

Deixemo-nos levar pelo querer de Deus, pois assim seremos mais felizes. Ainda que o querer de Deus nos leve a carregar nossa cruz, devemos aceitar a vontade do Pai, como fez Jesus (Mc. 14,36), que aceitando essa mesma vontade foi ao Calvário, morreu (derrotado), mas ressuscitou (vitorioso), pois foi fiel até o fim à vontade de Deus.

Assim como Jesus, teremos sentimentos momentâneos de derrota, mas se permanecermos fiéis como Ele, seremos vitoriosos também.

Então, comecemos a pedir desde já em nossas orações: Senhor, eu quero o que Tu queres!.
Aprendamos que é a pessoa desinteressada que vem a Deus por causa de Deus e não por causa de si mesma. Que diferença entre o que vai ao banquete pelo banquete e o que vai ao banquete pelo bem-amado.

Irmãos, vamos até o Bem Amado! Pois, Senhor, queremos o que Tu queres!!!

Giulliano Trompieri
Comunidade de Aliança Totus Tuus
Ribeirão Preto

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.