É Natal, nasce o Deus Menino

Nasce o Deus Menino:
Frágil, para fortalecer os pequenos,
Nu, para revestir de utopia divina a vida humana,
Pobre, para redistribuir entre todos a riqueza,
Errante, para abrir as portas aos excluídos,
Livre, para quebrar todo tipo de escravidão.

Nasce a Boa Nova para os pobres:
E renasce a esperança dos que estão a caminho,
A resistência de quem não se deixa abater,
A alegria dos que sofrem e choram,
A solidariedade de quem costura relações novas,
O sonho dos que lutam por projetos alternativos.

Nasce o Senhor da História:
Impérios de pedra e aço se desfazem em pó,
Reis e soberanos tremem sobre tronos de barro,
Luz e verdade iluminam as trevas do erro,
Levantam-se por toda parte os oprimidos,
Inaugura-se um tempo de justiça e de paz.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.