Deus que aparece... Deus que "foge"!

Quem nunca viveu a experiência de ter épocas da vida em que sente a presença de Deus claramente, onde percebe o seu Amor por cada um, onde tudo brilha e reflete Sua face, onde tudo parece dar certo e a vida flui com naturalidade… mas poucos dias depois, ou até horas, o tempo parece virar como uma chuva forte depois de um dia de sol?! De uma hora para outra, tudo parece perder o sentido: o belo fica feio, o que nos agradava passa a pesar, as tensões parecem crescer e tudo vai mal aos nossos olhos.

Pois é, esta é a experiência que muitos de nós fazemos, senão todos. É a experiência da nossa humanidade, que se encontra com Deus. E porque nossa humanidade é frágil, não conseguimos ser tão dóceis para perceber a ação de Deus e Sua providência, não só na bonança, mas também na tempestade. Uma vez ouvi da Márcia Corrêa (Comunidade Canção Nova), uma frase que anotei em minha Bíblia: “Precisamos ter a serenidade para perceber Deus nos momentos de alegria, mas também nos momentos de tristeza”. Meu Deus, como isso é real!

No livro do Cântico dos Cânticos, também é narrada essa experiência do Deus, que “aparece e desaparece”. A amada do Cântico dos Cânticos é a nossa alma e, o amado é Deus. Primeiro a amada diz: “É a voz do meu amado! Ei-lo que vem, saltando pelos montes pulando por sobre as colinas… Ei-lo de pé atrás do muro, espiando pelas janelas, observando através das grades…” (Cant 2,8-9).

Vê com que alegria ela percebe a presença do amado que se aproxima? Pois bem, dá para acreditar que alguns versículos depois essa mesma amada, que percebe o amado tão claramente, de repente deixa de vê-lo e se angustia à sua procura? Pois é o que acontece: “…procurei o amado de minha alma, procurei-o e não o encontrei. Vou levantar-me e percorrer a cidade…procurando o amado de minha alma…procurei-o e não o encontrei” (cf. Cant 3,1-3). Vale a pena você ler tudo depois.

Acho que Deus age assim conosco para despertar em nós o desejo de buscá-Lo. Assim, não ficamos parados em nossos problemas (ou em nossa comodidade) e, O buscamos em toda situação. Então, quando O encontramos… que alegria! É o consolo da nossa alma.
Deus nos quer fortes, maduros, crescidos na fé, por isso age assim conosco. Se você também já viveu essa experiência do Deus que “aparece e desaparece”, ou se a vive hoje, não se desespere, você é normal! Deus é assim mesmo. Isso é sinal de que Ele é presença na sua vida. Pense nisso! Nos momentos de alegria, colhamos os frutos da bondade de Deus; nos momentos de provação, procuremos perceber onde Deus quer que O busquemos.

Um abraço para você. Que bom que podemos partilhar experiências! Assim fazem os irmãos.

Deus o abençoe.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.