Deus pode me perdoar se eu me masturbo?

Devemos nos reconhecer como seres sexuados, isso implica ter necessidades biológicas muito importantes e saber que aprender a controlar-se é um processo que começa desde cedo. Algumas vezes a tentação da masturbação é muito grande, pode-se cair nela ou, com força heróica, com fé e oração, resistir. Alguns não poderão se abster por causa dos maus costumes adquiridos desde a infância, mas – atenção – isso não significa que este mau hábito nos condene e não possamos ser perdoados por Deus. Sua misericórdia é infinita e Ele vê os corações, negar Sua misericórdia seria atentar contra o Espírito Santo, o que seria o pecado mais grave que existe.

O Catecismo da Igreja Católica diz: “Por masturbação deve-se entender a excitação voluntária dos órgãos genitais com a finalidade de obter um prazer venéreo. ‘Tanto o Magistério da Igreja, de acordo com uma tradição constante, como o sentido moral dos fiéis, têm afirmado, sem nenhuma dúvida, que a masturbação é um ato intrínseca e gravemente desordenado’. ‘O uso deliberado da faculdade sexual fora das relações conjugais normais contradiz sua finalidade, seja qual for o motivo determinante’. Assim, o gozo sexual é procurado aqui à margem da ‘relação sexual exigida pela ordem moral; aquela relação que realiza o sentido íntegro da mútua entrega e da procriação humana no contexto de um amor verdadeiro’ (CDF, decl. “Pessoa humana” 9).
Para emitir um julgamento justo sobre a responsabilidade moral dos sujeitos e para orientar a ação pastoral, é preciso levar em conta a imaturidade afetiva, a força dos costumes adquiridos, o estado de angústia ou outros fatores psíquicos ou sociais que reduzem, e até mesmo anulam, a culpabilidade moral” (nº 2352).

É importante tomar em consideração tudo isso, existem fatores que fazem com que a gravidade diminua ou desapareça, mas não devemos ficar nisso. Se se sabe que existe um hábito adquirido é preciso pedir ajuda profissional para superá-lo, mas isso não significa que estejamos tão afastados de Deus que Ele não nos possa perdoar. É preciso ter cuidado com o ato de duvidar da misericórdia divina, e de negar Sua compreensão e perdão, este seria um pecado muito grave, pois Sua misericórdia é infinita. Devemos utilizar todos os meios ao nosso alcance para superar estas deficiências que nos podem levar a uma dependência do prazer através da masturbação.

Artigo extraído da Associacion de Laicos por la Madurez Afectiva e Sexualidad
Todos os direitos reservados

www.almas.com.mx

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.