Deus não desiste de você

Você pode se sentir a última pessoa da face da Terra, alguém pode ter dito a você: “Assim não dá mais, já tentei de tudo”. Porém, Deus não desiste de você.

É como uma mãe ou uma costureira que procura, com um pedacinho de imã, alfinetes que perdeu nos cantinho das gavetas ou nos buracos de casa e, com ele, recupera todos os alfinetes. Da mesma forma, Deus Pai quer resgatá-lo, quer e esta atraindo todos os filhos constantemente.

O próprio Pai pegou Jesus nas mãos e colocou-o em todos os buracos onde estávamos ao longo da nossa vida: nas zonas de prostituição, na boca de fumo, nos lugares de perigo, nos bailes, nas casas de shows, nos botecos, bares. E, como um imã, Jesus nos encontrou. Nem sabíamos o que estava acontecendo, nessa as mudanças começaram a acontecer, e tudo o que vivemos ficou para trás. Estranhamos a nossa própria mudança e, quando percebemos, até nossas amizades eram outras. Nos encontramos com o Senhor.

Para Deus, o que fizemos está no passado. Ele revela o Seu amor pelo pecador. Nos ama de tal maneira e com tal intensidade que não desiste de nós. Mesmo que nos comportemos como crianças birrentas, relutemos contra este amor, Ele insiste, persegue-nos, até que nos conquiste. Veja o que São Paulo nos fala na carta aos Romanos:

“Onde, porém, se multiplicou o pecado, a graça transbordou”(Rm 5,20)

Isto não significa que eu tenha de permanecer no pecado para a graça transbordar em minha vida. Havia uma propaganda antiga que dizia assim: “tum… tum… quem bate? É o frio. Não adianta bater, que eu não deixo você entrar”. Quando o pecado bater em seu coração, na sua mente ou em algum órgão do seu corpo, pergunte “quem batem?” Se for o pecado responda: “Estou morto”.

Com a morte de Jesus na cruz, fomos batizados na vida nova que Cristo nos oferece, e o homem velho e a mulher velha também estão mortos. Com a ressurreição de Jesus, nós precisamos ter uma vida nova em Cristo: novas amizades, namoros novos, casamentos renovados. Mesmo os profissionais, os evangelizadores, os ministros de música, os pregadores precisam estar mortos para o pecado e vivos para Cristo.

Deixe o passado, os ressentimento. Uma pessoa ressentida vai ao passado constantemente e revive sentimentos, acontecimentos, brigas com os familiares, namoros que não deram certo e várias situações. Existem pessoas que gostam de ficar na fossa, ou acordar enfezadas. Deus nos dá a graça de nascer de novo para que o homem velho morra e nós nos lembremos daquilo que éramos, somente quando for necessário testemunhar para tirar alguém do buraco.

O testemunho arrasta as pessoas. Quando dizemos quem fomos e quem somos hoje, muitas pessoas são resgatadas por Deus. Vale a pena tocar no passado apenas para que as pessoas se voltem para o Senhor. Elas dirão: “Se ele pôde, eu também posso experimentar essa graça”. Até mesmo o esterco do passado, Deus usa para adubar o presente. Mas nosso passado se limita a ser lembrança apenas nessa situação, ou seja, para resgatar alguém, pois o passado ruim, e longe de Deus, para mais nada serve.

Não se deixe dominar pelos acontecimentos e muito menos pelos sentimentos. Não procure o caminho mais fácil. Não se submeta a um vício. O homem novo tem que prevalecer sobre o homem velho.

Ninguém pode obrigá-lo a cheirar cocaína, a fumar, a trair a esposa, ou esposo. Em Cristo, você é livre, pois Ele foi pregado na cruz por você. Portanto, o pecado não reina mais em seu corpo mortal. Não ponha os seus membros a serviço da santificação do outro. Sei que é um desafio falar, escrever, pensar, agir, cantar desta forma. Se não for para servir, eu pergunto:Para que viver? Será apenas para chegar ao esgotamento físico?

Tem de haver algo maior, que é Jesus! Ele é tudo! Ele é o básico! Sem Ele, nada de bom podemos fazer!

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.