Como namorar?!

O namoro é o tempo de conhecer o outro. Mais por dentro do que por fora. E para conhecer o outro é preciso que ele “se revele”, se mostre. A recíproca é verdadeira.

Saiba que cada um de vocês é um “mistério”, desconhecido para o outro. E o namoro é o tempo de revelar (= tirar o véu) esse mistério. Cada um veio de uma família diferente, recebeu valores próprios dos pais, foi educado de maneira diferente e viveu experiências próprias, cultivando hábitos e valores distintos.

Tudo isto vai ter que ser posto em comum, reciprocamente, para que cada um conheça a “história” do outro. Há que revelar o mistério! Se você não revelar, ele não vai conhecê-la, pois este mistério que é você, é como uma caixa bem fechada e que só tem chave por dentro.

É claro que você não vai mostrar ao seu namorado, no primeiro dia de namoro todos os seus defeitos. Isto será feito devagar, na medida que o amor entre ambos se fortalecer.

Mas há algo muito importante nesta revelação própria de cada um ao outro: é a verdade e a autenticidade. Seja autêntico, e não minta. Seja aquilo que você é, sem disfarces e fingimentos mostre ao outro, lentamente, a sua realidade.

Não faça jamais como aquele rapaz que, querendo conquistar uma bela garota, garantiu-lhe que o pai tinha um belo carro importado…; mas quando ela foi conferir havia só um velho fusca na garagem.

A mentira destrói tudo, e principalmente o relacionamento. Mas para que você faça uma comunicação de você mesmo é preciso que tenha autocrítica e auto-aceitação. Só depois é que você pode se revelar claramente. É preciso coragem para fazer esta auto-análise e se conhecer, para se revelar.

Não tenha vergonha da sua realidade, dos seus pais, da sua casa, dos seus irmãos, etc. se o outro não aceitar a sua realidade, e deixá-lo por causa dela, fique tranqüilo, esta pessoa não era para você, não o amava.

Uma qualidade essencial do verdadeiro amor é aceitar a realidade do outro. O amor pelo outro cresce na medida que você o conhece melhor. Não se ama alguém que não se conhece.

Não fique cego diante do outro por causa do brilho da sua beleza, da sua posição social ou do seu dinheiro. Isto impedirá você de conhecê-lo interiormente e verdadeiramente.

O carro que ele tem hoje, amanhã pode não ter mais. A beleza do corpo dela hoje, amanhã não existirá quando o tempo passar, os filhos crescerem…

Mas aquilo que está no “ser” dele ou dela, ficará sempre, e é isto que dará estabilidade ao casamento e garantirá a felicidade duradoura de você, da família e dos filhos.

Portanto, conheça a “história” e o “coração” da pessoa que está hoje ao seu lado. Quem ele é? É por isso que o namoro não pode ser uma brincadeira sem qualquer responsabilidade.

Você precisa saber guardar as confidências do outro, mesmo amanhã se o namoro terminar. Há coisas que temos que de ter a grandeza de levar para o túmulo conosco, sem revelar a ninguém. Quando alguém lhe abre o coração, está depositando toda a confiança em você, e espera não ser traído.

Portanto, cuidado com o que você conta a terceiros sobre o seu namoro; nem tudo poderá ser contado aos outros.

(…)

Eis uma questão importante: você não pode criar uma esperança vazia no outro, levá-lo às alturas nos seus sonhos, e depois, de repente, jogar tudo no chão. Seria uma covardia! Não brinque com os sentimentos e com a vida do outro, da mesma forma que você não quer que faça assim com a sua. Não alimente no outro uma esperança falsa.

Do livro: “Jovem, levanta-te”


Felipe Aquino

Professor Felipe Aquino é viuvo, pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova. Página do professor: www.cleofas.com.br Twitter: @pfelipeaquino

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.