Como Deus me vê?

A vida da gente é mesmo uma coisa engraçada. Entendê-la é um desafio, e dos grandes. Fico pensando em diversas coisas e deparo com algumas realidades intrigantes, como por exemplo, as mudanças que temos que realizar nas nossas vidas. Para ser concreto, tem um fato que posso citar:

Muitos de nós desde a infância aprendemos que temos de crescer na vida, que estudar numa boa escola, tirar boas notas fazer bons cursos, aprender esportes e ser bons neles, fazer um bom pré-vestibular, cursar uma boa universidade, ser um bom profissional, ganhar bem, ter uma boa família, etc. Ou seja, somos criados para ser vencedores na vida. Ora, ser vencedor na vida é algo bom, porém o ruim é que aprendemos que temos que ser vencedores como se estivéssemos competindo uns com os outros. O tempo passa, os anos se vão e aos poucos alguns de nós vão percebendo que essa forma de viver não é a melhor, e que mais vale a pena cooperar que competir. Devemos sim buscar tudo de bom, mas cooperando, sendo comunidade uns com os outros. A competição não é tão frutuosa. Nela há pessoas que vencem sim, que se dão bem na vida, mas que são infelizes, porque acabam sozinhas. Na cooperação todos vencem e aquele que cresce é motivo de alegria para os demais. Ganhamos juntos! Foi essa maior mudança que viver em comunidade realizou em mim. Mas é um aprendizado, e por vezes não é fácil, porque tenho mudar uma atitude que aprendi a ter desde pequeno. Um “condicionamento” se assim posso dizer.

Às vezes queremos fazer as coisas direito e não conseguimos. Às vezes, lutamos para ser melhores, sabemos o que devemos fazer, mas no final fazemos errado. É… a vida é assim. Nós somos assim, precisamos ter paciência com nós mesmo, estamos fazendo uma passagem que não é fácil: do egocentrismo para o altruísmo.

A cada dia me convenço mais de que a maioria de nós faz essa descoberta. Cedo ou tarde, de um jeito ou de outro, descobrimos que é melhor cooperar que competir, somos mais felizes assim! Mas porque é que mesmo descobrindo isso alguns não mudam e continuam em nosso meio agindo como se nada tivesse acontecido? Eu também não sei. Sei que precisamos fazer uma escolha. Alguns fazem e outros não. Somos livres. Alguns tiveram coragem de “mudar” seus conceitos e se encontram com a vontade de Deus. Outros tiveram medo e continuaram vivendo da mesma forma. A escolha é pessoal e exclusiva.

Se você vive algo desse tipo, se descobre, hoje, algo novo em sua vida, se tem a impressão de que alguma coisa precisa mudar, por que você não arrisca? Por que não faz a experiência?

Lembre-se de que você não precisa ser melhor do que ninguém. Vive feliz não quem está por cima das outras pessoas, mas aquele que tem a coragem de começar pequeno. É muito bom saber que não preciso ser “o bom”, mas tão somente um com os meus irmãos. Pense nisso…

Eu vou continuar pensando nessas coisas da vida da gente. Em outra oportunidade, partilho mais uma delas com você.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.