A transfiguração do Senhor em nossa vida

      Somos com Deus os construtores de nossa eterna felicidade. Sua graça nunca faltará, mas nossa colaboração nunca será dispensável. E nós a estaremos dando, com certeza, sempre que soubermos olhar para cristo, com a mesma fé simples e profunda com que o contemplou o centurião naquela tarde no alto do calvário.

      Deus quer nos salvar, para isso mandou seu Filho ao mundo. Não quer condenar ninguém. Mas Ele quer a colaboração da nossa liberdade. Não nos quer autômatos irresponsáveis. Precisamos aprender a percorrer os caminhos que nos aproximam de Deus e nos colocam num serviço generoso aos irmãos. Deus se manifesta totalmente a quem a Ele se doa, e a quem o procura de coração. Quantas vezes buscamos a Deus e nos perguntamos onde Ele está escondido. São João da cruz responde com simplicidade que: “Deus está escondido no mais íntimo de nós mesmos e é dentro de nós que devemos procurá-lo”. É dentro do nosso coração que acontece o encontro mais íntimo e profundo com o MistérioTrinitário. É Jesus que nos convida a fechar a porta e a entrar no quarto do nosso coração e ai rezar ao pai e o pai que tudo vê nos atenderá. Num mundo agitado que nos obriga a tanta correria, redescobrir o valor do silêncio e da contemplação, é muito necessário. A transfiguração de Jesus nos revela a distância que existe entre a glória à qual todos nós somos destinados e a situação na qual vivemos no presente porque os nossos pecados são o grande obstáculo para que a glória dos filhos de Deus se manifeste na sua plenitude.

      Mas a misericórdia divina vem em nosso socorro de modo que, pela graça, o pecado é vencido e nós somos transfigurados aos poucos até o dia da ressurreição, quando todos os que foram resgatados na morte com cristo, irão viver com ele para sempre e, como diz o apóstolo São João, seremos semelhantes a Deus, porque o veremos tal qual Ele é. Sempre que nos vemos diante de uma grande dificuldade ou de um grande problema, a nossa tendência é clamarmos a Deus para que Ele venha em nosso socorro com a sua graça e nos ajude a superarmos os obstáculos. E, de fato, Deus vem em nosso socorro com seu amor e com sua misericórdia. Mas Deus é solidário conosco e não nosso suplente. Jesus manda que os discípulos dêem de comer às multidões e multiplica os cinco pães e os dois peixes que eles tinham portanto, somente quando fazemos a nossa parte e Deus age conosco é que há a plena saciedade para todos.

Eduardo Rocha Quintella
Fraternidade S. J. da Cruz – O.C.D.S – B.H.
Adorador Noturno da Catedral Nossa Senhora da Boa Viagem – B.H.
Tel.: (0xx31) 3486 –8507 – Belo Horizonte M.G.

eduardoquintella@superig.com.br

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.