A Língua: bênção ou maldição?

Tudo que Deus faz merece fé e tem um objetivo: ser graça para a vida do homem. A língua foi criada por Deus para ser capaz de louvá-lo e glorificá-lo.

A língua, membro tão pequeno que é capaz de destruir o homem e até uma nação. Quando mal usada pode ser maldição, mas também é capaz de ser bênção quando usada para o benefício do próximo.

O primeiro objetivo da nossa língua, precisa ser a bênção para nós mesmos e nossos irmãos. Será que da nossa boca não é capaz de sair louvor? O louvor precisa ser a primeira palavra a sair de nossos lábios. Porque temos mais motivos para bendizer e louvar o Senhor do que reclamar, murmurar e até atrair maldição sobre nossa vida “da mesma boca provêm bênção e maldição. Ora , tal não deve acontecer, meus irmãos” ( Tg 3, 10).

Paremos e observemos o que tem saído da nossa boca durante o dia. Será que temos a capacidade de enfrentar as situações e os problemas do dia sem reclamação ou murmuração? A bênção deve ser constante em nossa vida e lábios. Não queiramos atrair a discórdia e a maldição pelos nossos lábios.

A língua é um instrumento fundamental para a evangelização e propagação do Reino de Deus, por isso, não podemos usá-la como instrumento do demônio e maldição para vida do próximo. “Assim também a língua, embora seja um pequeno membro do corpo, se jacta de grandes feitos… ora a língua é um fogo” (Tg 3, 5-6).

Somos chamados a ser bênção e salvação para a vida dos nossos irmãos e não destruí-los com a nossa língua. Muitos pecados nossos estão ligados a língua, pois ela foi ferida pelo pecado. “Como o mundo do mal, a língua está posta entre os nossos membros maculando o corpo inteiro e pondo em chamas o ciclo da criação, inflamado como está pela geena” ( Tg 3, 6).“ela é um sinal irrequieto e está cheio de veneno mortífero” (Tg 3, 8).

Irmãos não sejamos pedras de tropeço na vida dos nossos irmãos. Não podemos nos perder por causa de um pequeno membro que tem controlado a nossa vida. Comecemos a falar bem uns dos outros. Deixemos o pecado de lado.

É um membro de difícil domínio, mas não impossível. O domínio da língua revela um domínio total de si mesmo.

“… aquele que ama a vida e deseja ver dias felizes, guarde a sua língua do mal
e os seus lábios de proferir mentiras; afaste-se do mal e pratique o bem, busque a paz e siga-a; porque os olhos do Senhor estão sobre os justos e os seus ouvidos estão atentos à sua prece…” ( Sl 34, 13-17).

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.