A aventura de encontrar o caminho certo

E agora o que fazer? Nessa situação o que vou fazer? Aposto que você já se deparou com esta pergunta ao menos uma vez neste dia. Alguns chamam o processo de tomar a decisão certa de raciocínio, outros dizem: vou pensar! Os mais piedosos dizem: vou rezar!
Existem diversas maneiras para expressar uma das atividades mais importantes do homem: o discernimento.

O que é discernir? Nossa língua portuguesa nos apresenta diversos caminhos: discriminar; diferençar; distinguir; estremar; separar; julgar; apreciar; decidir; medir. Para qualquer pessoa essa atitude de descobrir o melhor caminho para se sair vitorioso e bem sucedido. É um segredo que poucos se empenham em desvendar, a fim de alcançar a maior de todas as vitórias, ou seja a vida eterna.

No mundo dos negócios se ensina a prudência meramente humana que em si é boa. Trata-se de avaliar os pontos negativos e positivos em vista de um melhor negócio, de uma maior rentabilidade. Aqui se trata da perspectiva do lucro e do prejuízo.
Já no caminho da santidade podemos chamar o lucro de amor e o prejuízo de maldade. O discernimento é uma postura ativa, de confrontar-se com cada situação e nela livremente optar pelo bem comum das pessoas.

Não é simplesmente rezar por uma situação esperando um sinal de Deus. Também não se trata somente de fazer cálculos para distinguir os pontos positivos dos negativos em vista de uma solução. Gosto de simplificar unindo as duas coisas: É necessário rezar e pensar, tomando uma atitude baseada no comportamento de Jesus. O que Ele faria no meu lugar agora, nesta situação? O melhor é fazer isso em oração.

Como encontrar o caminho a seguir, qual seria a decisão correta? Daqui vem a aventura do Cristão de encontrar a Vontade de Deus. Aqui entra o famoso ditado: Cada caso é um caso! Pois bem, no procurar a voz de Deus, ou seja, a sua vontade em cada acontecimento, existe apenas uma atitude: humildade. O humilde sabe que é pequeno e por isso procura ajuda. Sabe que Deus pode falar diretamente ao seu coração, porém sabe que Ele também pode estar falando através de pessoas, dos fatos, da liturgia da missa, do estudo bíblico, das correções, inclusive nas derrotas.

Enfim, discernir é uma aventura? Sim, é um caminho alto, pedregoso, como os que encontramos aqui no deserto da Judea. A alegria de alcançar o topo é algo incomum de se explicar. Contudo, não é um caminho de se fazer sozinho, pois o discernimento é acima de tudo um dom, que Deus dá gratuitamente àqueles que pedem sem duvidar: “Se alguém dentre vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a concede generosamente a todos, sem recriminações, e ela ser-lhe-á dada.”( cf. Tg 1, 5).

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.