A alegria que vem de Cristo

Gostaria de chegar ao seu coração, tocá-lo com minha partilha e exprimir a alegria de ser consagrado, de ser servo de Deus e Cristão.

Peço a Deus que possa impactar a sua vida e alargar sua visão, tirando toda limitação que lhe impede de experimentar o Senhor da alegria em todas as circunstâncias. Esse júbilo de que falo é aquele que não passa após uma festa, uma noitada; muito menos com o sofrimento. Ele é permanente porque a fonte é Deus, é amor que ultrapassa todas as barreiras.

Essa alegria é revelada a nós por Jesus nas bem aventuranças que fazem parte do Sermão da Montanha: “Bem-aventurados os que têm um coração de pobre, porque deles é o Reino dos céus! Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados! Bem-aventurados os mansos, porque possuirão a terra! Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados! Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia! Bem-aventurados os puros de coração, porque verão Deus! Bem-aventurados os pacíficos, porque serão chamados filhos de Deus! Bem-aventurados os que são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o Reino dos céus! Bem-aventurados sereis quando vos caluniarem, quando vos perseguirem e disserem falsamente todo mal contra vós por causa de mim”(Mt 5, 3-11).

Olhando profundamente para essa palavra podemos perceber que a alegria do consagrado, do servo, do Cristão é o oposto da alegria oferecida pelo mundo, e até mesmo concebida pela nossa razão, pois essa é pautada pelo consumismo, por uma sexualidade desregrada e pelo hedonismo, que são coisas momentâneas, passageiras e que causam um grande estrago e um profundo vazio.

A alegria que Cristo propõe é permanente e pode ser vivida na pobreza de espírito, na mansidão, na humildade, na misericórdia, na pureza de coração, na promoção da paz, na fome e sede de justiça, e até mesmo em situações que, muitas vezes, aos nossos olhos, são negativas, mas que em Cristo são transformados em alegria, como a aflição, a perseguição, a calúnia e as mentiras sobre nós por causa de Jesus. Isso é totalmente contrário à pregação do mundo! É uma alegria constante e verdadeira.

Ouso dizer a você que na cruz de Jesus há alegria, pois ali aconteceu a vitória, e na nossa cruz pessoal existe uma fonte de contentamento.

Essa é a alegria que tenho descoberto no meu ministério diaconal, na minha consagração na Canção Nova, na minha vida de Cristão. Tudo isso tem sido fonte de unção, de poder e de força na minha caminhada.

Que você viva com intensidade a alegria de Cristo. Foi isso que os santos descobriram, é a perfeita alegria que São Francisco experimentou.

“Que a alegria do Senhor seja sempre a nossa força”.

Deus abençoe!

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.