Da impureza à santidade

Nos tempos atuais, existe uma crise moral que afeta a sociedade, e parece que tudo o que a Bíblia e a Doutrina da Igreja dizem é uma afronta ou uma piada. A moda hoje é criticar e ir contra tudo aquilo que o Magistério da Igreja ensina. E olha que tudo vem da Palavra de Deus, de estudos aprofundados e da experiência milenar da Igreja.

Hoje se incentiva os jovens a fazer sexo na hora em que quiserem e da forma que quiserem. Os programas de ONGs e do governo de “controle da natalidade” e da prevenção de DST (Doença sexualmente transmissível) e AIDS, entre outras, divulgam não somente a camisinha e o anticoncepcional, mas também a liberdade de viver a sexualidade livre.

E de acordo com algumas pesquisas, atualmente, o Brasil é um dos países onde se perde a virgindade mais cedo. E mesmo com essa apologia do uso da camisinha, que é distribuída gratuitamente por esses programas, temos visto filas cheias de adolescentes grávidas nos postos de saúde e hospitais. E por que isso? Exatamente porque os jovens – quando não têm camisinha – fazem sexo da mesma maneira, pois praticá-lo, hoje, para muitos, é lazer.

A única forma de se prevenir contra a AIDS e a DST é vivendo a castidade, a continência sexual. Talvez você possa até pensar que isso é loucura da Igreja e da cabeça dos padres; porém, não consigo vislumbrar um meio mais eficaz.

Deus pensou o homem para o casamento monogâmico (um homem que se casa com uma única mulher). No entanto, hoje, o sexo tem sido divulgado como lazer, e mais quase ninguém compreende que o sexo no ser humano não é somente físico, é também espiritual. O sexo não é divino, porém, é sagrado, e quando é feito de uma forma não sagrada, ele desestrutura o ser humano. Os animais não têm sentimentos, não os vemos tristes depois do ato sexual; eles ficam com menos energia, mas não é tristeza. Mas o homem não, o homem se entristece por praticá-lo de forma errada, pois está deturpando aquilo que é sagrado.

Talvez muitos rapazes e muitas moças, que perderam a virgindade – pela fraqueza e pelo incentivo à vivência de uma sexualidade livre – fiquem pensando hoje: “Como vou voltar atrás? Já me perdi mesmo, perdi a virgindade”. O rapaz diz: “Já saí com muitas garotas”. E a garota diz: “Já saí com muitos garotos. E agora?”

Santa Luzia tem uma frase maravilhosa para essas pessoas que viveram isso: “O mundo tirou a pureza do meu corpo, mas não do meu coração”. A resposta desse questionamento está nessa frase: eles devem buscar a pureza do coração, lutar pela vivência da castidade, da continência sexual. Dessa forma, vamos vendo acontecer a graça da purificação, que o próprio Deus vai realizando em nós pela decisão de vivermos assim.

O Catecismo da Igreja Católica (CIC) nos diz: “A expressão ‘puros de coração’ designa aqueles que entregaram o coração e a inteligência às exigências da santidade de Deus, principalmente em três campos: a caridade, a castidade ou a retidão sexual, o amor à verdade e à ortodoxia da fé” (CIC – 2518).

Esta falsa liberdade, que é pregada e vivida pelo mundo, tem causado grandes estragos nos casamentos, pois vemos uma infinidade de matrimônios destruídos por causa do adultério, da infidelidade. E, muitas vezes, até pensamos que tudo está perdido e que não tem mais jeito. Muitos até assumem para si a tão famosa “síndrome de Gabriela” – “Eu nasci assim, eu cresci assim, vou viver assim e morrerei assim: sempre Gabriela”.

Tenho uma boa notícia para você que se perdeu ou se desviou do projeto de Deus para a sua vida, que é um projeto de felicidade e santidade: o segredo é se aproximar de Deus, aproximar-se da Eucaristia e da Palavra de Deus, e viver uma vida coerente e estável de oração. Tenha certeza de que você será liberto da “síndrome de Gabriela”, e do pecado que o desviou do projeto de Deus.

Deus quer alcançar você! Já vi muitos homens, que antes eram adúlteros, restaurarem o casamento e passarem a viver a fidelidade. Assim como tenho visto jovens, que antes viviam um desregramento sexual, hoje, viverem um caminho lindo de pureza e castidade. Também tenho visto jovens que estavam perdidos no homossexualismo, hoje, viverem a castidade, dando uma resposta diferente para Deus. E o mais bonito de tudo: SÃO FELIZES POR ESTAR FAZENDO A VONTADE DE DEUS!

Talvez você já tenha desistido de você mesmo; porém, quero lhe dizer nesta hora: Deus não desistiu e nunca desistirá de você! Volta a ser o que Deus quer! O que você vive não é a última palavra para a sua vida! A última palavra para a sua vida vem de Deus: O CÉU! Deus tem o céu para você, mas precisa de uma resposta sua de fidelidade e santidade. É possível! Volte para Deus!
Estamos juntos nesta linda luta por ser de Deus!
Conte comigo e com minhas orações!

Deus o abençoe!

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.