Descobertas

O amor é a capacidade de ver o outro de forma diferente

O amor tem a capacidade de retirar alguém do lugar comum

O amor só pode ser eterno à medida que vivermos a conquista do outro todos os dias. E isso só vai acontecer a partir do momento em que o amor de Deus incendiar nossa vida.

O amor é essa capacidade de ver o outro de forma diferente. No meio de tanta gente, alguém se torna especial para você e você se aproxima dele. Amar é começar a descobrir que, numa multidão, alguém não é multidão. O amor é essa capacidade de retirar alguém do lugar comum para um lugar dedicado, especial. Alguém descobriu uma sacralidade em você.

O amor é a capacidade de ver o outro de forma diferente
Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

A primeira cura que o amor realiza

Quando alguém se aproximou, foi porque você gerou um encanto. O outro se sentiu melhor ao aproximar-se de você. A beleza da totalidade que você tem faz ele melhor. A primeira coisa que o amor esponsal e conjugal cura são as orfandades que a vida nos colocou.

Namoro tem de começar assim: “Tira as sandálias dos pés, eu não sou um território qualquer”. O primeiro encanto tem de ser essa consciência de que se Deus lhe deu essa pessoa, Ele é dono antes de você.

O amor quando não é amor, vira competição, disputa; por isso ele é iniciado e mantido em Deus; será sempre um amor de promoção do outro.

Leia mais:
:: Demonstrar o amor é tão importante quanto o sentir
:: 20 conselhos do Papa Francisco aos recém-casados
:: Como lidar com as brigas e os desentendimentos no namoro?
:: A importância da amizade para o desenvolvimento emocional

O casamento é um encantamento pelo o outro, que vai ganhando sentido conforme o casal vai se conhecendo. O amor para ser verdadeiro tem de passar pelas fases da descoberta. Você tem que saber quem é o outro.

A grande lição para quem se casa é esta: todos os dias você precisa se aproximar do outro e descobrir o motivo para continuar o respeito e a alegria de estar diante dele.

Casamento em que o outro é opressão, não é amor. O amor leva para o alto! Se vocês não se promovem mais, significa que estão esquecendo a vocação primeira do matrimônio: o de acender o fogo do amor, da dignidade e da felicidade nele.

A porta para o diabo entrar

O sexo errado na vida de um casal é a porta por onde o diabo pode entrar para fazer do parceiro um objeto. Cuidado com o que vocês trazem para a vida sexual de vocês, para não fazer o outro se sentir um objeto, uma prostituta (o).

Não levem para vida sexual instrumentais diabólicos. Que coisa ridícula a mulher se vestir de coelhinha, o marido de batman ou sei lá mais o quê. Ainda vêm com a desculpa de dizer que isso é para “incrementar” a relação. Se o amor que você tem por ela não for o melhor incremento, esqueça!

Sejam criativos sim, mas sem perder a dignidade. A maior criatividade da vida sexual, para que vocês se sintam amados, é carinho, afeto e dedicação.

Qual é o incremento da vida sexual?

Cuidado! A roupa de coelhinha, de professorinha etc., pode fazer seu marido esquecer que você é sagrada. Cuidado com essa mentalidade mundana que está transformando mulheres e homens em objeto. O incremento da vida sexual é carinho, afeto e dedicação. Isso faz com que nos sintamos amados! Se não tem amor, depois do prazer você joga o outro fora. O amor do outro tem de promover sua dignidade.

O único objetivo que o diabo tem é apagar nossa dignidade. Se fizermos parceria com ele, o seu casamento está em risco.

Esse corpo que você está abraçando é território santo, é vida que precisa continuar iluminada e digna.

 

Livro Famílias Edificadas no Senhor


Padre Fábio de Melo

Padre Fábio de Melo, sacerdote da Diocese de Taubaté, mestre em teologia, cantor, compositor, escritor e apresentador do programa “Direção Espiritual” na TV Canção Nova.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.